Todos contra o Bullyning

 

Você sabe o que é o Bullying?
Até pouco tempo visto como fato isolado ou “briguinhas de criança”, hoje o termo “Bullying” é conhecido no Brasil para definir atos agressivos entre alunos e/ou grupos de alunos nas escolas. A palavra é de origem inglesa, mas seus efeitos são debate em instituições do mundo inteiro como problema crônico das escolas, e com consequências sérias, tanto para vítimas, quanto para agressores. A pedagoga e mestre em educação, Maria Elisa Schuck Medeiros, trouxe o tema a tona em seu artigo “O Bullying e a Lei do Silêncio”. Segundo ela, professores e escolas ainda não identificam essa violência ou quando identificam se calam diante da situação. “Assim, a situação se estende até a mesma ultrapassar os limites da aceitação, do respeito ao ser humano”, acredita.

 

Formas de agressão
As formas de agressão entre alunos são as mais diversas, como empurrões, pontapés, insultos, espalhar histórias humilhantes, mentiras para implicar a vitima a situações vexatórias, inventar apelidos que ferem a dignidade, captar e difundir imagens (inclusive pela internet), ameaças (enviar mensagens, por exemplo), e a exclusão. Entre os meninos, os tipos de vitimação são mais de cunho físico. Ainda que não efetivada a agressão, os agressores costumam ameaçar, meter medo em suas vitimas. Já as meninas agressoras costumam espalhar rumores mentirosos, ou ameaçarem espalhar segredos para causar mal estar.

 

Como evitar?
O Bullying atrapalha inclusive a aprendizagem, sendo que normalmente os agressores são as crianças com maior porcentagem de reprovação. Segundo Elisa, a escola precisa garantir que nenhum aluno, seja criança ou adolescente, sofra esse problema. “A escola precisa garantir que nenhum aluno, seja criança ou adolescente,  sinta-se ou seja excluído, bem como humilhado dentro do ambiente escolar”. Ela acredita que os profissionais precisam estar atento a todos os movimentos e ações do contexto escolar, colocando em questão o assunto para que seja amplamente discutido envolvendo pais, professores, direção, serviços pedagógicos e principalmente os alunos, quebrando, assim, a lei do silêncio.

Todos contra o bullying


 

Deixe um comentário

Logotipo do nosso Grêmio

"EASF"

Faça o Download dessa imagem

Deixe um comentário

Enquete

Se você ainda não sabe o que um Grêmio estudantil faz vá até a pagina Artigos e leia o artigo “O que um Grêmio estudantil faz?”

Deixe um comentário

Para que serve um Grêmio estudantil?

Para que serve um grêmio:

a) Representar os estudantes da sua escola, promovendo sua organização e defesa de suas reivindicações;

b) Defender os interesses gerais dos estudantes e de cada um em particular;

c) Manter relações e promover atividades com associações semelhantes, sempre que necessário e conveniente aos interesses e aspirações dos estudantes;

d) Relacionar-se e cooperar com as entidades representativas de estudantes, da população e dos trabalhadores; 

e) Incentivar as relações amistosas entre as organizações estudantis democráticas e unitárias de todo o mundo, e participar ativamente nos seus movimentos;

g) Lutar em defesa do ensino público e gratuito e de qualidade em todos os níveis; 

h) Lutar pelo livre acesso à educação;

i) Combater pela contínua adequação do ensino às reais necessidades científicas e do interesse da maioria do povo;

j) Combater pela democracia e pelo respeito às liberdades fundamentais do homem, sem distinção de raça, cor, nacionalidade, sexo, convicção política ou religiosa;

l) Lutar para que todos os direitos dos estudantes sejam atendidos em seu ambiente de ensino (sua escola).


1 Comentário